sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

A inveja dói.

Você já sentiu inveja, daquelas que fazem sofrer? E já sentiu o gostinho de ver alguém que você inveja se dar mal?
Na Science Magazine, um interessante artigo publicado por um grupo de pesquisadores japoneses, liderados pelo Dr. Hidehiko Takahashi do Instituto Nacional de Pesquisas Radiológicas em Chiba
traz um tema no mínimo curioso: as relações neurais da inveja e da "vingança".
Coloquei em parênteses, pois diz respeito ao sentimento de prazer que alguém tem ao ver alguém que você inveja em situação de dificuldade (ou seja, literalmente "se ferrando"), conhecido como "Schadenfreude".
Os autores objetivando esclarecer as vias neurocognitivas destas experiências sociais, desenharam dois estudos e através de ressonâncias magnéticas funcionais acessando as áreas ativadas do cérebro durante a experimentação. No primeiro estudo, os participantes eram estimulados a sentir inveja. Neste caso, observou-se uma maior atividade no córtex cingulado anterior (ACC). No segundo estudo estudou-se a "Schadenfreude" e observou-se uma forte ativação do complexo estriado em particular do corpo estriado ventral.

Trocando em miúdos, o que isto representa é que a inveja pode ser sentida como um episódio doloroso real, tanto quanto um pisão no pé, um chute, ou um soco ou uma agressão física qualquer, e que o prazer na desgraça dos nossos desafetos ativa o sistema de recompensa tanto quanto comer um doce que você goste, ou usar um alucinógeno.
Ou seja, as experiências sociais e as experiências físicas são elaboradas pelo cérebro da mesma forma.
Logo, se você não gosta de apanhar, talvez seja melhor se contentar com aquilo que você tem ou que você é.


Hidehiko Takahashi, Motoichiro Kato, Masato Matsuura, Dean Mobbs, Tetsuya Suhara, and Yoshiro Okubo
When Your Gain Is My Pain and Your Pain Is My Gain: Neural Correlates of Envy and Schadenfreude
Science 13 February 2009: 937-939
http://www.sciencemag.org/cgi/content/abstract/323/5916/937

2 comentários:

Professora Luzia disse...

Ola, estou dando uma passadinha e não pude deixar de comentar.

Nossa, que interessante!
Vou trabalhar essa reflexão com meus alunos de sociologia. Seu blog esta de parabéns, traz muitas informações ew reflexões.

Sandra Goraieb disse...

Obrigada por seu comentário, Luzia!
Seja bem-vinda e deixe sua opinião ou sugestão quando quiser.