terça-feira, 19 de agosto de 2014

Ftalatos e obesidade infantil.

Mais um artigo de revisão sobre a questão da obesidade infantil e os ftalatos no Annals of Pediatric Edocrinology & Metabolism. Quem quiser lê-lo na íntegra, é disponível gratuitamente no link: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4114051/ Phthalate exposure and childhood obesity Shin Hye Kim, MD and Mi Jung Park, MD, PhD

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Triclosan...

E não é que finalmente o assunto aparece em sites "populares"? Artigo sobre o Triclosan, nosso velho conhecido... http://www.jornalciencia.com/saude/corpo/4281-substancia-usada-na-pasta-de-dente-colgate-total-para-combater-doencas-da-gengiva-tem-potencial-cancerigeno-diz-pesquisa

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Bisfenol S é seguro?

Um grupo da Universidade de Toulouse, liderados pelo Dr. Héliès Toussent, conduziu um estudo sobre os efeitos do Bisfenol S, candidato a substituto do Bisfenol A no mercado Europeu,nas células hepáticas e na obesidade. Os autores observaram (estudo in vitro) que tanto o BPA como o BPS induziram um aumento no conteúdo lipídico nas células adiposas 3T3-L1 e mais moderadamente nos hepatócitos Hep G2. Observaram também uma diminuição na lipólise, na produção de leptina e na modulação dos genes envolvidos no metabolismo lipídico e no balanço energético, talvez ligados à modulação do SREBP-1c, PPARγ, aP2 e ERRα e genes γ após exposição ao BPA enquanto o BPS parece atingir o PGC1α e os genes ERRγ. Isto leva os autores a sugerirem que tanto o BPA como o BPS podem ser interferentes envolvidos na obesidade e na esteatose hepática através de duas vias metabólicas diferentes. Para saber mais: Héliès-Toussaint C1, Peyre L2, Costanzo C3, Chagnon MC4, Rahmani R2. Toxicol Appl Pharmacol. 2014 Aug 8. pii: S0041-008X(14)00291-9. doi: 10.1016/j.taap.2014.07.025. Is bisphenol S a safe substitute for bisphenol A in terms of metabolic function? An in vitro study.

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Seria o consumo de soja industrializada uma causa de Mal de Alzheimer?

Um grupo de pesquisadores da Universidade de Adelaide levantou esta hipótese em um artigo publicado no Medical Hypotheses(Med Hypotheses. 2014 Mar;82(3):250-4.) baseado na interferência da soja nas funções da tiróide. Os autores lembram o aumento da incidência desta afecção e a sua importância epidemiológica, uma vez que estima-se que 25% da população americana em 2031 será portadora desta patologia. A maioria dos pesquisadores da demência relacionam a etiologia a viroses, obesidade, sedentarismo, diabetes, depressão, hipertensão arterial, inflamações frequentes, contaminação ambiental ou doméstica por agentes tóxicos, fatores genéticos. Alzheimer é uma degeneração de partes das vias neurais no cérebro, e pode de fato estar ligada a agentes tóxicos que passem a barreira hemato-encefálica. Assim, os autores consideram importante avaliar o que for abundante no ambiente, e em particular as fontes alimentares. Entre estes, os produtos não fermentados de soja, que possuem atividades anti-tireoide e são interferentes hormonais, poderiam ser deletérios. Para saber mais: Roccisano D, Henneberg M, Saniotis A. A possible cause of Alzheimer's dementia - industrial soy foods. Med Hypotheses. 2014 Mar;82(3):250-4

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Um artigo de revisão sobre os mecanismos de ação dos interferentes hormonais e doenças associadas está disponível gratuitamente no link abaixo: Endocrine-Disrupting Chemicals: Associated Disorders and Mechanisms of Action Sam De Coster and Nicolas van Larebeke, Bélgica. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3443608/pdf/JEPH2012-713696.pdf

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Vaga para pesquisador!

Atenção Mestres em Ciências em TOXICOLOGIA! Recebi este e-mail para divulgação. O texto é o que se segue: Dear colleague, At the Institute for Environmental Studies of the VU University in Amsterdam there is a vacancy for a PhD student on the topic of ŒMiniaturization of in vitro bioassays for high throughput Effect-Directed Analysis¹, see attached document for more information. We¹re looking for a candidate with a MSc degree in molecular sciences (biochemistry, molecular biology, or toxicology) with an affinity for analytical chemistry. Would you please be so kind to forward this advertisement to anyone who may be interested? Thank you very much, Timo Hamers Marja Lamoree Senior Researcher Analytical Chemistry Institute for Environmental Studies - Instituut voor Milieuvraagstukken (IVM) Faculty of Earth and Life Sciences (FALW) VU University Amsterdam De Boelelaan 1085 (visiting address) De Boelelaan 1087 (postal address) 1081 HV Amsterdam The Netherlands t + 31 (0)20 59 89573 f + 31 (0)20 59 89553 e marja.lamoree@vu.nl www.ivm.vu.nl

sexta-feira, 23 de março de 2012

Interferentes hormonais, uma revisão de 15 anos de pesquisa.

Em 1991, em Wildspread, um grupo de pesquisadores concluiram pela primeira vez que os agentes ambientais introduzidos pela atividade humana, poderiam ter efeitos danosos sobre a saúde dos seres vivos. Literalmente: “Many compounds introduced into the environment by human activity are capable of disrupting the endocrine system of animals, including fish, wildlife, and humans. Endocrine disruption can be profound because of the crucial role hormones play in controlling development.”
Quinze anos se passaram e cada vez mais o volume de evidências tem aumentado ao longo do tempo, além do reconhecimento de cada vez maior número de agentes implicados nos diversos mecanismos de interferência endócrina.
Sugiro a leitura da revisão: "Fifteen Years after “Wingspread”—Environmental Endocrine Disrupters and Human and Wildlife Health: Where We are Today and Where We Need to Go", disponível gratuitamente no endereço: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2721670/?tool=pubmed

Boa leitura!

Para saber mais:
Hotchkiss AK et alli
Fifteen Years after “Wingspread”—Environmental Endocrine Disrupters and Human and Wildlife Health: Where We are Today and Where We Need to Go
Toxicol Sci. 2008 October; 105(2): 235–259.