quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Trilussa, banalidades, prazeres e outras idiotices

Me disse uma vez o diretor de uma UTI que trabalhei, que depois dos 45, o indivíduo adquire o direito de dizer o que quiser. Talvez este direito devesse chegar antes.
De qualquer forma, como eu já passei faz algum tempo dessa data fatídica, tenho o direito adquirido.
Então, hoje é provável que não lhes fale nada de sério. Não estou disposta.
TPM, acho. Mas como é melhor tê-la que reposição hormonal, então a gente encara.
Pode ser só preguiça, cansaço, mau humor, ou os primeiros sintomas de uma síndrome depressiva ou uma virose. Pode ser o clima, a mudança dele, ou simplesmente nada. Tinha meteopatia quando soprava o Scirocco. E não era a única.
Na Italia, me disseram que o consumo de pizza e pasta aumentava a biodisponibilidade de serotonina. Então, vou me afogar nos carbohidratos e procurar a felicidade gustativa.
Como, apesar de tudo, sou uma "nega" legal, vou dar para vocês o segredo da minha sogra romana: a receita da massa de macarrão fresca com ovos.
Melhor que terapia, pois você amassa e descarrega a raiva, faz exercíco, libera endorfinas e depois ainda dá um eletrochoque gastronômico no dia cinza, chuvoso e sem graça. Na pior hipótese, vai comer algo que vale a pena.
Para cada pessoa, são 100 gramas de farinha sendo metade de grão macio (farinha comum 00) e metade de grão duro, um ovo inteiro, uma pitada de sal. E amassar, amassar, amassar... pensando naquilo que te incomoda e botando a mão na massa.
Depois vem a fase de abrir a "sfoglia", com aquele rolo de macarrão (que sugiro grande) antigo, ou para os hightech aquelas maquininhas de rolo.
Abra bem, a massa não deve ser muito grossa para não ficar pesada. Para os matemáticos, precisinhos e afins, coisa de 1mm.
Podem ser criativos na hora de cortar: lasagna, mais larga; papardelle, larga; tagliatelle, mais fina, como uma fita de 0,5 cm. Ou façam capelleti, raviolli, agnolotti, com recheios variados.
O molho é outra conversa. Cada um faz o que preferir, desde que seja rico, encorpado, cheio de perfume (pois sabor é boa parte de perfume).
Eu gosto mesmo é de um sugo ou ragu simples e eficaz. As coisas mais simples, os sabores mais honestos são sempre os melhores.

Mudando de assunto, tenho visto a grande preocupação dos blogs científicos em abordar a religião. Ouvi até que dá ibope. Talvez seja verdade. Em vez de discutir hipóteses, vou contar histórias e um poeminha de um poeta dialetal romano, Trilussa (Carlo Salustri). Meu prof. de Pediatria em Roma o conheceu pessoalmente e sempre nos contava sobre ele. Tem um poema que é a definição da estatística. Ele diz em resumo que a Estatística é a exata ciência onde se eu como 2 frangos e você não come nada, estamos ambos muito bem alimentados (ver abaixo).

La Statistica

Sai ched'è la statistica? È na' cosa
che serve pe fà un conto in generale
de la gente che nasce, che sta male,
che more, che va in carcere e che spósa.

Ma pè me la statistica curiosa
è dove c'entra la percentuale,
pè via che, lì,la media è sempre eguale
puro co' la persona bisognosa.

Me spiego: da li conti che se fanno
seconno le statistiche d'adesso
risurta che te tocca un pollo all'anno:

e, se nun entra nelle spese tue,
t'entra ne la statistica lo stesso
perch'è c'è un antro che ne magna due.


Obviamente, a Estatística é bem mais do que isto, mas nos causava uma boa gargalhada.
Estatística não é mesmo pra todo mundo. Assim como farmacologia, bioquímica, biofísica e outras ciências ditas "básicas", faz pipocar o corpo de muita gente.
É como proteína, que é estrutural mas causa alergia, hehehe...
Deontologia também, mas o motivo é outro.
Nummeri

- Conterò poco, è vero:
- diceva l'Uno ar Zero -
ma tu che vali? Gnente: propio gnente.
Sia ne l'azzione come ner pensiero
rimani un coso voto e inconcrudente.
lo, invece, se me metto a capofila
de cinque zeri tale e quale a te,
lo sai quanto divento? Centomila.
È questione de nummeri. A un dipresso
è quello che succede ar dittatore
che cresce de potenza e de valore
più so' li zeri che je vanno appresso.


E sobre a guerra, a sempre presente guerra, tem também umas coisinhas, um pouco antigas (outubro de 1914), mas sempre atuais e aplicáveis aos nossos dias, para provar "che tutto er monno è paese"...

La ninna-nanna de la guerra

Ninna nanna, nanna ninna,
er pupetto vô la zinna *:
dormi, dormi, cocco bello,
sennò chiamo Farfarello **
Farfarello e Gujermone ***
Gujermone e Ceccopeppe +
che se regge co' le zeppe,
co' le zeppe d'un impero
mezzo giallo e mezzo nero.

Ninna nanna, pija sonno
ché se dormi nun vedrai
tante infamie e tanti guai
che succedeno ner monno
fra le spade e li fucilli
de li popoli civilli...

Ninna nanna, tu nun senti
li sospiri e li lamenti
de la gente che se scanna
per un matto che commanna;
che se scanna e che s'ammazza
a vantaggio de la razza...
o a vantaggio d'una fede
per un Dio che nun se vede,
ma che serve da riparo
ar Sovrano macellaro.

Ché quer covo d'assassini
che c'insanguina la terra
sa benone che la guerra
è un gran giro de quatrini
che prepara le risorse
pe' li ladri de le Borse.

Fa' la ninna, cocco bello,
finché dura 'sto macello:
fa' la ninna, ché domani
rivedremo li sovrani
che se scambieno la stima
boni amichi come prima.
So' cuggini e fra parenti
nun se fanno comprimenti:
torneranno più cordiali
li rapporti personali.

E riuniti fra de loro
senza l'ombra d'un rimorso,
ce faranno un ber discorso
su la Pace e sul Lavoro
pe' quer popolo cojone
risparmiato dar cannone!


* o seio
** o diabo
*** Guilherme II
+ Francisco José


Então, dá-lhe Trilussa!
Mesmo porque, para bom entendedor, até dialeto basta.

4 comentários:

thais disse...

bom, eu não entendi muito. hauahuahauahauahuahaua

mas posso dizer que o seu molho sugo é uma delícia...
aliás, o tempero da salada... hummmm........

beijão com a saudade batendo....

Osame Kinouchi disse...

Oi Sandra, vc poderia me mandar seu endereço para correios no meu email bbjenitez(arroba)yahoo.com.br?

╰☆╮F®ÅNciєℓyღ εїз* disse...

Nossa San...
Bom, eu já te falei que seus posts são DEMAIS?! hehehe
***
Cansaço e obrigação tráz estresse mesmo! Completamente normal!
Tente descansar e se cuidar direitinho amiga, este mundo precisa muito de vc, e que vc esteja bem!
***
Como "diz" a sábia Bíblia, neste mundo passarás por aflições mas... tende bom ânimo!
***
bjinhos
F.

Sandra Goraieb disse...

Oi, Tha! Olha, é dialeto romanesco, hahahaha... quando entro em surto psicótico TPMístico dá nisso... menos mal que passa.
Lembrei de você ontem. A Biri estava brincando com a bonequinha japonesa dela e a gente começou a cantar as musiquinhas... Donguri koro koro... Menina, você me veio na cabeça na hora!
Um beijão pra vocês na terra do sol nascente.