terça-feira, 4 de novembro de 2008

Nada de novo no front.

Hoje é um aniversário para se lembrar. Noventa anos atrás acabava aquela que até então havia sido a maior tragédia que a humanidade havia conhecido: a Primeira Guerra Mundial.
Guerra chamada Grande por suas dimensões massacrantes, por envolver as nações mais importantes do globo na época.
Começou em Sarajevo, com um atentado ao príncipe herdeiro austríaco, Francisco Ferdinando, terminou com um saldo de 10 milhões de mortos, 30 milhões de feridos e uma sociedade marcada pela tragédia. Foi a guerra das trincheiras, do gás, dos lança-chamas, das primeiras batalhas aéreas. Marcou o fim dos tempos onde nas guerras morriam soldados, para iniciar os tempos onde morrem mais civis que militares.
Foi um horror. Aliás como todas as guerras o são. São sempre horríveis. Na verdade, no fundo, não existem vencedores nas guerras. São, somos, todos perdedores. Fica sempre um saldo de dor e de miséria, de perdas irreparáveis, de raiva e de mágoas.

Hoje é um dia para se lembrar. O dia da última batalha. Em nome de todos aqueles que perderam suas vidas (mortos e sobreviventes) naqueles campos de batalha e que nem estão mais aqui para gritar pela paz. Um dia para lembrar.




2 comentários:

Morrocoy disse...

Um dia para se lembrar!
Obrigada pela informação, que eu não conhecia (quanto à data, quero dizer).
Pena que o ser humano não aprende.

╰☆╮F®ÅNciєℓyღ εїз* disse...

Nossa...
É, e eu faço as palavras da Mári as minhas palavras!
Verdade!
E obrigada!
bjão
Fran