quinta-feira, 4 de junho de 2009

Dopamina e interferentes hormonais

Os efeitos do 17beta-estradiol (E2) e de xenoestrógenos (XEs) no transporte da Dopamina pode ter implicações importantes na incidência de distúrbios neurológicos, especialmente naqueles relacionados a flutuação hormonal em certas faixas etárias nas mulheres.
Um grupo de pesquisadoras do Dept. de Biologia Molecular e Bioquímica da Universidade do Texas em Galveston desenhou um estudo que relacionou a atividade fisiológica da dopamina e a interferência endócrina ambiental por xenoestrógenos.
As autoras estudaram baixas concentrações de xenoestrógenos [dieldrin, endosulfan, o', p'-diclorodifenil-etileno (DDE), nonilfenol (NP), and bisfenol A (BPA)] no que diz respeito a atividades não genômicas através da ação em receptores estrogênicos (ERs).
As autoras encontraram atividade de interferência em todos os xenoestrógenos estudados em dadas concentrações .
Assim elas concluíram que baixas doses de contaminantes ambientais com ação nos receptores estrogênicos da membrana, podem alterar o padrão temporal do efluxo de dopamina e a passagem de seu carreador (DAT) e os receptores estrogênicos, levando a modificação na fisiologia celular e distúrbios de neurotransmissão.

A dopamina está relacionada a distúrbios do comportamento, transtornos afetivos, depressão, atimia, apatia, deficits de memória e concentração.

Alyea RA, Watson CS.
Differential regulation of dopamine transporter function and location by low concentrations of environmental estrogens and 17beta-estradiol.
Environ Health Perspect. 2009 May;117(5):778-83

O artigo completo gratuito pode ser descarregado deste link:http://www.pubmedcentral.nih.gov/picrender.fcgi?artid=2685841&blobtype=pdf

Um comentário:

Gel Nails disse...

Nice Information! Thanks for sharing us………….